O menino tem paralisia cerebral - e os pais não vão desistir de cuidar dele!

Pai remarca feijoada beneficente para filho de 5 anos após ninguém aparecer


A feijoada que o pai de família Valdeci de Souza Silva preparou com grande sacrifício no conjunto habitacional onde mora, em Manaus, com a esposa, com o filho Valdinho, de 5 anos, e com a filhinha caçula de 5 meses, tinha sido marcada para o primeiro domingo deste mês, 4 de agosto.

Estava tudo pronto, graças aos donativos de ingredientes que ele tinha conseguido nos dias anteriores. Walldecy (grafia de seu nome que ele adota no Facebook) tinha divulgado o almoço aos vizinhos e conhecidos da região, visando angariar dinheiro para custear uma parte dos desembolsos mensais com o tratamento de Valdinho, que tem paralisia cerebralSíndrome de West.

Desde as 9 horas da manhã do domingo, Walldecy estava a postos para receber as pessoas que participariam do almoço. A família estava esperançosa de aliviar um pouco o orçamento, pesado, que todo mês precisa ser direcionado ao tratamento da doença de Valdinho, diagnosticada ainda em seu terceiro mês de gestação.

A hora do almoço se aproximava. Como as pessoas estavam demorando a chegar, Walldecy começou a mandar mensagens, perguntando se elas iriam.

À medida que o tempo continuava passando, a hora do almoço se aproximava cada vez mais rápido, mas a espera pelas pessoas parecia cada vez mais eterna. Walldecy não recebia nenhum retorno às suas mensagens.

Ele esperou, com sua família, das 9 horas da manhã até as 5 horas da tarde.

“Fiquei o dia todo esperando. Não deu ninguém na feijoada do nosso guerreiro”.

Uma espera que se arrasta há muitos meses

O pai relatou ao site Razões para Acreditar:

“Desde 2017 estou tentando esse tratamento pelo SUS, mas sem sucesso. A luta com o nosso pequeno tem sido muito difícil, pois temos gastos muitos altos com fraldas, produtos de higiene, alimentação, que só pode ser líquida ou pastosa”.

Ele próprio sofre com a saúde: ex-operário da construção civil, teve que largar a profissão depois de um acidente de moto.

“Adquiri uma ferida na perna que não cicatriza, criando uma venosa. Optei em me virar com a venda de trufas. A mãe do Valdinho sempre trabalhou com serviços gerais e faxinas, mas, mesmo assim, não conseguimos cumprir com todos os gastos”.

As parcelas do financiamento da casa estão atrasadas. Contas de água e luz também.

“Recebemos o aviso de corte”.

O desabafo de Walldecy, no entanto, repercutiu nas redes sociais.

Apoiado por pessoas que ficaram sabendo da sua história, ele decidiu que não vai desistir: a próxima feijoada, reorganizada com amigos e vizinhos, está marcada para o dia 8 de setembro, a partir das 9h, no Residencial Manauara 1.

Não custa lembrar que 8 de setembro é a data em que a Igreja celebra a Natividade de Nossa Senhora!

Como você pode ajudar

Quem quiser ajudar a família de Walldecy com doações pode proceder assim:

  • Falando diretamente com ele via FacebookAQUI.
  • Contribuindo com a vaquinha que ele criou: AQUI.


Aleteia

Outras Notícias

Qual o sentido da Quarta-feira de Cinzas?

A Quarta-feira de Cinzas foi instituída há muito tempo na Igreja; dia que marca o início da Quaresma, tempo de penitê...

Hoje: 100 anos do falecimento de Santa Jacinta Marto, criança vidente de Fátima

Celebramos neste 20 de fevereiro a festa litúrgica de São Francisco Marto e Santa Jacinta Marto, os irmãos pasto...

Barco-hospital Papa Francisco tem fila de espera de voluntários

Obarco-hospital Papa Francisco já tem todas as expedições de 2020 pela Amazônia brasileira agendadas. E um fato surpr...

Os 5 critérios chave para escolher bem os padrinhos de batismo dos seus filhos

Você está planejando batizar seu filho? Uma grande decisão espera por você: a escolha do padrinho e da madrinha. Se v...

Tem início em março processo de beatificação do padre Léo

Conhecido por suas pregações, padre Léo, fundador da Comunidade Bethânia, foi um sacerdote que reunia multidões por o...

Papa: “Doente não é número, mas pessoa que precisa de humanidade”

16 de setembro de 2016: o Papa Francisco visita o hospital San Giovanni, em RomaFrancisco pediu que as estruturas de ...