Sim, criança dá trabalho na Missa (é normal). Mas esse conselho vai te dar uma injeção de ânimo

Acha difícil levar os filhos arteiros à Missa? Veja o conselho de uma mãe


Quem tem filhos pequenos e arteiros (graças a Deus!) sabe: ir à Missa com eles é um grande desafio. 

A maratona começa em casa. Bem antes do horário da celebração é preciso preparar o banho, a roupa dos pequenos, assim como a malinha de passeio, que deve conter de comidinhas e bebidas ao brinquedo que eles mais gostam. 

No carro também é aquela luta. Para colocar a criança na cadeirinha é um sufoco. E, quando há mais de um filho, essa é a hora da briga. 

Mas a “hora do terror” mesmo é a chegada na igreja. Incrível como o ambiente da Casa do Pai mexe com a imaginação das crianças. A maioria delas não para quieta. É um corre pra cá, corre pra lá… Sem contar os gritos…

E quando elas veem o padre, então? Há aquelas que só faltam entrar debaixo da batina dele. 

É tanta trabalheira que, muitas vezes, os pais desanimam. Alguns até desistem de ir à Missa todos os domingos. Eles têm medo dos olhares tortos de reprovação dos colegas de paróquia. Muitos até acham que não conseguem rezar como deveriam, pois todas as atenções estão voltadas aos pequenos. 

Se você pensa assim saiba que você está errado(a). Nunca devemos deixar de ir à Missa por causa das bagunças dos nossos filhos. Devemos acostumá-los a cumprir esse preceito católico, pois isso faz parte da formação religiosa das crianças. 

Porém, nos últimos dias, um texto que circula nas redes sociais e no WhatsApp tem chamado a atenção dos pais de crianças pequenas. O poema é uma verdadeira injeção de ânimo para quem está querendo deixar de levar os pequenos para vivenciar a Eucaristia – este momento único para nós, católicos. Por isso, tomamos a liberdade de reproduzi-lo aqui. A autoria do texto é atribuída a Fernanda Dias. 

“Coloca a criança no colo e vai. 

Coloca o salto ou a sapatilha e vai.

Arruma o cabelo ou faz um coque e vai.

Com pó na cara ou com o rosto lavado, vai. 

A criança não para sentada, vai. 

A criança chora muito, mas vai. 

Você talvez não consiga prestar atenção como queria na missa, mas vai. 

As pessoas se incomodam, mas vai. 

Nunca deixe a bênção que você tanto pediu atrapalhar sua gratidão.

Ensine seu filho que ir à casa de Deus é uma forma de agradecer.

Esta fase vai passar, mas vai, mesmo que alguns dias sejam piores do que os outros e que algumas vezes você queira ir embora no meio da pregação, mas persiste em ir até o fim, respira e continua. 

Vai, mostra para os teus filhos quem é o Deus que você serve, vai, arrume sempre um jeito, mas nunca uma desculpa.

Vai mãe, planta ali a sementinha do evangelho, vai, não desiste.”


Fonte Aleteia

Outras Notícias

O casal que festejou seu casamento dando um jantar a 160 pessoas carentes

Ana Paula Meriguete e Victor Ribeiro, de Guarapari, no Estado brasileiro do Espírito Santo, se casaram em 16 de fever...

“O Padre Marcelo Rossi estava no colo de Nossa Senhora”

O Padre Adriano Zandoná testemunhou o empurrão que o Padre Marcelo Rossi levou do altar enquanto presidia uma Missa e...

Pe. Reginaldo Manzotti: “estamos desidratados de Deus – e desidratação mata”

A esperança, a confiança e a alegria são virtudes que devemoscultivar, mesmo nos momentos de aflição.Temos que compre...

Mulher empurra Padre Marcelo Rossi de palco durante missa

Uma mulher invadiu uma missa realizada pelo padre Marcelo Rossi neste domingo, 14, e o empurrou do palco. A celebraçã...

Existe um padroeiro para quem joga videogame?

Para alguns jovens, os santos parecem antiquados e não têm qualquer conexão com seus interesses modernos. Embora haja...

Idoso sobreviveu a 7 infartos constrói capela móvel para agradecer milagres ao Divino Pai Eterno

O idoso, que é conhecido como Duca, participa de todas as festas do Divino Pai Eterno desde os 14 anos, por influênci...