Católico, o profissional revela como é criar para o cinema os detalhes de um

“Deus é a minha inspiração”, diz designer de “Os Incríveis 2”


Um designer católico que participou da elaboração dos cenários do filme “Os Incríveis 2” compartilhou algumas experiências de seu trabalho e apontou que Deus é sua inspiração.

Philip Metschan trabalha na Pixar, empresa produtora de grandes filmes animados, como “Viva – A Vida é uma Festa”, “Up”, “Toy Story”, “Wall E”, entre outros. Em declarações à CNA – agência em inglês do Grupo ACI –, disse que um dos aspectos que mais gosta do seu trabalho de designer de cenários é inspirado nos ambientes reais e depois usa a sua própria experiência “para produzir um mundo que nunca existiu com coisas fantásticas que ninguém jamais viu antes”.“Definitivamente, sou alguém que gosta de estar na natureza, fora do mundo e vivenciá-lo, porque acho que existem narrativas fortes que são criadas apenas a partir da existência desses lugares” e é impossível separar a criação do Criador.

“De certa forma, sinto que sempre que estou usando isso como inspiração, estou usando Deus como inspiração”, explicou.

Depois de várias circunstâncias, a família precisa voltar a atuar como super-heróis para salvar o mundo.

O designer explicou que os filmes da Pixar destacam a importância de questões fundamentais como a família e a amizade. “Embora usemos esses personagens fantásticos para fazer isso, as emoções universais são muito centrais”, disse.

Além disso, Metschan disse à CNA que estes filmes podem ajudar na reflexão. Por exemplo, em “Os Incríveis 2”, o objetivo do vilão é “se livrar dos super-heróis por causa de sua noção de que ter pessoas especiais entre nós nos deixa fracos, pois confiamos nessas pessoas em vez de confiar em nós mesmos”.

“No que se refere à nossa fé católica, eu diria que os heróis atuais do mundo não são feitos das coisas que gostaríamos que fossem feitos. Não são heróis pelas razões que eu acho que nós, católicos, procuramos para os nossos ‘heróis’, e a razão pela qual os veneramos”, destacou.

“Acho que ainda temos a opção de escolher nossos heróis”, acrescentou.

Como artista, Metschan disse que é simples reconhecer a inspiração como algo de Deus, pois sente a responsabilidade de fazer algo que sirva aos outros.

“Você sente que recebeu algum tipo de habilidade especial, ou uma visão especial de como executar essas coisas novas, e também sente a responsabilidade de que essas coisas que você cria sejam positivas e esclarecedoras”, concluiu.

 

(ACI Digital)

Outras Notícias

Imagem impactante agita redes sociais: “Espírito Santo” visto no céu?

Foi postada no Facebook em 17 de janeiro de 2019, pela usuária Elisha Oluhambo, a imagem de um conjunto de nuvens que...

Mãe internada na UTI tem reencontro emocionante com o filho

Imagine a situação: você tem um filho de sete meses e, de repente, é obrigada ficar longe dele por mais de 10 dias de...

Sabe em que momento o diabo ataca?

Eu cresci ouvindo que os três grandes inimigos da alma eram: o mundo, o demônio e a carne. Por muito tempo, falavam-s...

São Pedro investiga por onde almas entram no Céu sem sua permissão

As redes sociais estão compartilhando o relato que reproduzimos abaixo. Certamente não é nenhum tratado de teologia, ...

Menino com paralisia cerebral caminha pela primeira vez para receber a Eucaristia

Era 16 de dezembro de 2018: o terceiro domingo do Advento, também chamado de Domingo da Alegria (ou Domingo...

URGENTE: orações por menino de 2 anos que caiu em poço de 110m no domingo

Adiocese de Málaga, no sul da Espanha, reforçou o pedido de orações pelo pequeno Julen Roselló, um menino de 2 anos e...