Quando surgiu este costume? Por que fazemos o sinal da cruz sobre a testa, lábios e coração? Quais os melhores momentos para fazer este gesto?

Qual é o significado e quando devo fazer o Sinal da Cruz?

A cruz é o símbolo maior de cada cristão. No entanto, há dúvida sobre o significado desse sinal aos católicos. E a razão do sinal da cruz ser traçado sobre a testa, peito, e coração, como ainda os momentos em que se deve fazê-lo.

De modo claro, a cruz é importante já que se trata de marca da salvação de cada um, dada por Jesus. São João Paulo II afirmou que a cruz é “sinal de um amor sem limites”. Mas, de acordo com o Catecismo Jovem, fazer sobre o corpo o sinal da cruz, representa ação a se colocar sob proteção divina que é trino. 

No inicio do dia, no início de uma oração, e também no começo das tarefas de importância, o cristão se coloca sob o “sinal da cruz”, e então começa a sua ação em “nome do Pai e do Filho e do Espírito”. A invocação nominal de Deus trino, por quem as pessoas estão rodeadas de todo lado, é capaz de santificar as coisas que as pessoas empreendem, ela concede a bênção, e ainda fortalece as pessoas em dificuldades e em tentações.


Origem do Sinal da Cruz


A prática do sinal da cruz acontece desde primórdios da Igreja. Atualmente, a prática é vivida na Igreja Romana, e na Ortodoxa. O começo da sua prática tem origem ao padre da Igreja de nome Tertuliano, que vivia no terceiro século.

Ele nasceu aproximadamente em 160 d.C e faleceu em 220 d.C.

Em um dos escritos dele, denominado “De Corona Militis”, é encontrada com clareza esta prática, que tem descrição por ele do seguinte modo:

“Quando nos pomos a caminhar, quando saímos e entramos, quando nos vestimos, lavamo-nos e iniciamos as refeições, quando vamos nos deitar, quando nos sentamos, nessas ocasiões e em todas as nossas demais atividades, persegnamo-nos a testa com o sinal da cruz”.

E uma dúvida comum, é sobre o significado litúrgico em relação ao sinal da cruz. No livro sobre sacramentos, o professor Felipe Aquino, indica o significado litúrgico em relação ao sinal da cruz.

Afirma que a cruz na testa lembra que deve ser entendido o Evangelho, conhecido, estudado. E a cruz nos lábios lembra que o Evangelho deve ser anunciado, proclamado. E a cruz no peito, para altura do coração, indica para as pessoas que, acima de tudo, o Evangelho deve ser pregado, vivido e testemunhado pelos indivíduos todos que acreditam na ressurreição de Jesus Cristo.


Quando fazer o Sinal da Cruz


É ressaltado por YouCat a importância de ser feito o sinal da cruz anteriormente do começo de uma oração, ou ainda de tarefas do cotidiano. Mas, além de ritos sacramentais e litúrgico, em que existem as horas propícias a se fazer o sinal da cruz, não há normativa em relação à Igreja que obrigue a fazer esse sinal o católico, de exemplo, quando passar na frente de uma igreja.

Porém, a tradição ensinou as pessoas a este e mais costumes que fazem demonstração de devoção ou respeito. Assim, não é pecado se a pessoa passa em frente à igreja e não faz o sinal da cruz. E, se fizer, vai ser uma bela demonstração da manifestação da própria fé e do amor.

E como há um dia dedicado em especial para exaltação da Santa Cruz, como esta se caracteriza o maior sinal de cristãos e a manifestação do amor que não tem limites de Deus pelas pessoas, e ainda representa um meio de as pessoas se colocarem sob proteção de Deus, parece ser uma prática boa e de importância.

Como é aconselhado por São Cirilo de Jerusalém: 


“Não nos envergonhemos de professar o Crucificado, selemos confiadamente a testa com os dedos, façamos o sinal da cruz, sobretudo sobre o pão, a comida, e os copos de que bebemos! Façamo-lo quando vamos e quando vimos, antes de dormir, ao deitarmo-nos e ao levantarmo-nos, quando andamos e descansamos!”


Ação presente do Sinal da Cruz


Assim, na certeza de que a força de Deus acompanha todos nas suas provações diárias, é ideal fazer o sinal da cruz um gesto da profissão de fé, e de fortalecimento, com atenção para sempre que o traçar, o coração esteja cheio de devoção.


Como ensinou o Santo Papa João Paulo II:


“Quem quer que seja que acolha Deus em Cristo, acolhe-O mediante a cruz. E quem acolheu Deus em Cristo, exprime isso mesmo mediante esse sinal: quem O aceitou, efetivamente, benze-se com o sinal da cruz sobre a fronte, sobre os ombros e sobre o peito, para manifestar e para professar que, na cruz, encontra-se de novo totalmente a si mesmo, alma e corpo, e que com este sinal abraça e aperta ao peito Cristo e o seu reino.”


 Jovens Católicos

Outras Notícias

Novena de São Frei Galvão, o primeiro santo brasileiro

Santo Antônio de Sant’Anna Galvão, mais conhecido pelos católicos como Frei Galvão, foi canonizado pelo Papa Ben...

LITURGIA DIÁRIA 17 DE OUTUBRO

Primeira Leitura (Gl 5,18-25)Leitura da Carta de São Paulo aos Gálatas.Irmãos, 18se sois conduzidos pelo Espírito, en...

17/10 - Santo Inácio de Antioquia, portador de Deus

Neste dia deparamos com a fé ardente, doação completa e amor singular ao Cristo do mártir Inácio, sucessor de São Ped...

Rezar o terço sem contemplar os mistérios é válido?

O pe. Cido Pereira, que escreve no jornal O São Paulo, da arquidiocese paulistana, respondeu à pergunta de ...

16/10 - Santa Margarida Maria Alacoque, devota do Sagrado Coração de Jesus

Deus suscitou este luzeiro, ou seja, portadora da luz, que é Cristo, num período em que na Igreja penetrava as trevas...

LITURGIA DIÁRIA 15 DE OUTUBRO

Primeira Leitura (Gl 4,22-24.26-27.31-5,1)Leitura da Carta de São Paulo aos Gálatas.Irmãos, 4,22está escrito que Abra...