Museu recebe lançamento do Livro “As árvores invisíveis” da patrocinense Leida Reis

Na próxima sexta-feira, 10 de agosto, o Governo Municipal, através daSecretaria Municipal de Cultura, Fundação Casa da Cultura e Museu MunicipalProfessor Hugo Machado da Silveira realizam o lançamento do livro “As árvoresinvisíveis” da escritora patrocinense Leida Reis.

O lançamento acontece no Museu Professor Hugo Machado da Silveira em duassessões, de 16h às 18h e de 20h às 22h, nas quais haverão contação de históriase sessão de autógrafos.

A necessidade de perceber o que está ao nosso redor é o eixo da históriade “As Árvores Invisíveis”. A obra, primeiro livro para crianças da escritoraLeida Reis, conta a história do menino Sebastião, que não consegue enxergar asárvores da cidade. Para ele, elas não passam de “criaturas estranhas”.

A intenção da autora é também chamar a atenção para as árvores do meiourbano, quase sempre malcuidadas. Para isso, Leida convida o leitor a refletir,por meio do seu personagem, sobre o convívio das novas gerações com oselementos que habitam a terra em harmonia com o homem. “A vida urbana dificultanosso contato com o essencial, o simples, como ouvir o vento, pisar na terra,sentir a força da água. E é a natureza nossa maior fonte de força interior”,afirma a autora, também publisher da Páginas Editora.

Com uma linguagem diferenciada para as crianças, “As Árvores Invisíveis”pode ser lido por pessoas de todas as idades. A obra traz temas atuais, como oproblema da arborização nas grandes cidades e o incêndio da Casa da Árvore, naAvenida Silva Lobo. A necessidade de enxergar o que está ao redor a partir deoutras perspectivas motivou a história. “Todos nós estamos cegos para muitascoisas bem próximas”, diz a autora.

Daniel Munduruku, indígena, doutor em Educação pela USP e escritorpremiado, assina o texto da quarta capa, destacando as nuances da literatura deLeida Reis. “Eis um texto poético, lúdico e educativo. A autora conseguiu darum tom bem informal para falar de um assunto complexo que é a educação doolhar”, atesta. “Esse é um olhar necessário, para dar humanidade ao nosso estarno mundo. Essa humanidade se constrói quando somos capazes de olhar para o quenos cerca e ver a alma que habita nelas”, acrescenta Munduruku.

A publicitária e mestre em Letras MarianaTavares é a responsável por dar vida ao personagem Sebastião nas ilustrações de“As Árvores Invisíveis”. A ilustradora conta que o rosto do menino apareceudurante um sonho e que logo em seguida já sabia como ele deveria ser. “Sofri umpouco para criar alguns desenhos, como na cena que Sebastião chora na calçada.Foi como se eu estivesse sentindo a dor dele”, lembra Mariana, cujo primeirolivro ilustrado foi “Aqui, ali e acolá: histórias em todo lugar”, também pelaPáginas Editora

Outras Notícias

FESTA. Fenacafé lançada na noite desta terça-feira com muitas atrações sertanejas

programação da II Fenacafé, lançada nesta terça (19), durante evento na Expocaccer, às 19:00 horas no espaço interno ...

Vagas para Zona Azul foram preenchidas

A coordenação da Unidade do Sine de Patrocínio informa que, todas as vagas disponibilizadas para agentes do Estaciona...

Jardim Ipiranga recebe sinalização de trânsito

Desde a semana passada técnicos da Secretaria Municipal de Segurança Pública, Trânsito e Transportes desenvolvem um i...

Macaúbas de Baixo será beneficiada com ponte de concreto

A partir da próxima quinta-feira (14), a Secretaria de Obras dará inicio a construção de mais uma ponte de concreto n...

Iniciada a recuperação da estrada de Santo Antônio da Lagoa Seca

O Governo Municipal, por meio da Secretaria Municipal de Obras Públicas, iniciou no início da semana o trabalho de re...

Governo Municipal envia donativos a Brumadinho

O Governo Municipal, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, enviou na madrugada desta sexta-feir...