Ex-prefeito de Uberlândia Gilmar Machado é preso em operação da Polícia Federal

O ex-prefeito de Uberlândia, Gilmar Machado, foi preso namanhã desta quinta-feira (12) durante a Operação “Encilhamento” da PolíciaFederal (PF). De acordo com as informações preliminares, as investigaçõesapuram irregularidades envolvendo a aplicação de recursos de institutosprevidenciários em fundos de investimento. Na cidade, além do ex-prefeito,outras três pessoas foram presas incluindo o ex-superintendente do Instituto dePrevidência Municipal de Uberlândia (Ipremu), Marcos Botelho.

As investigações, que contaram com o apoio da Secretaria dePrevidência (SPREV), levam em consideração desvios bilionários em diversosmunicípios. Ao todo são cumpridos 60 mandados de busca e apreensão e 20mandados de prisão temporária. São investigados 13 fundos de investimento emSão Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná, Mato Grosso, Santa Catarina eGoiás.

A assessoria de imprensa do político informou que está seinteirando dos fatos para enviar uma nota oficial. O G1 também tenta contatonesta manhã com a defesa de Botelho.

A apuração começou em Uberlândia e, de acordo com a PF, há aindicação de envolvimento de uma empresa de consultoria contratada pelosinstitutos de Previdência e elementos que apontam para corrupção de servidoresligados a alguns deles. Também há cumprimento de mandado de busca e apreensãona sede do Ipremu, durante esta manhã, no Centro.

No 2º semestre de 2016 foi constatada a existência de R$ 827milhões em apenas oito destes fundos. O dinheiro, ainda segundo a PF, seriadestinado ao pagamento das aposentadorias dos servidores municipais.

Os investigados vão responder por crimes contra o SistemaFinanceiro Nacional, fraude a licitação, corrupção ativa e passiva e lavagem dedinheiro, com penas que variam de dois a 12 anos de prisão, de acordo com a PFem Uberlândia.

Irregularidades no Ipremu

O instituto de Uberlândia já foi alvo de outrasinvestigações do Ministério Público Estadual (MPE) e da Câmara Municipal, queinstaurou uma Comissão Parlamentar de Inquérito no ano passado.

Ainda não há informações se a operação da Polícia Federaltem ligação com essas denúncias anteriores. A CPI dos vereadores concluiu quehouve ilegalidade em diversos investimentos feitos em fundos considerados dealto risco, durante a gestão de 2013 a 2016, uma vez que as aplicações foramfeitas sem a devida qualificação de "investidor qualificado ou profissional"conforme previsto em lei.

Do total das aplicações efetuadas, cerca de R$ 348,6 milhõesestavam alocados em mais de 20 fundos de investimento e, desses, já houve perdatotal ou parcial dos recursos. Ao final, a comissão enviou um relatório para aPolícia Federal e a Promotoria de Justiça para que analisassem todos osdocumentos e tomassem as devidas providências.

Gilmar e o ex-secretário de Finanças do Município, CarlosDiniz, respondem por um processo de improbidade administrativa devido aosproblemas envolvendo o Ipremu.

G1 Triângulo

Outras Notícias

Coleta para o Censo Escolar 2019 começa no final de maio

A coleta das informações do Censo Escolar 2019 começarão a ser feitas no dia 29 de maio, de acordo com o cronograma p...

Michel Temer e Moreira Franco são presos pela Lava Jato do RJ

O ex-presidente Michel Temer foi preso em São Paulo na manhã desta quinta-feira (21) pela força-tarefa da Lava Jato d...

Mourão: reforma da Previdência criará confiança de que o país precisa

O presidente em exercício, Hamilton Mourão, voltou a defender, hoje (19), a reforma da Previdência, afirmando que a m...

Ministério Público notifica Google e WhatsApp para que removam imagens da boneca 'Momo' das redes sociais

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) notificou o Google e o WhatsApp para que removam das redes sociais conteúdos qu...

Aeroportos foram arrematados com ágio médio de 986%

O leilão de privatização de 12 aeroportos superou a outorga estipulada pelo governo de R$ 2,1 bilhões. No total, os l...

Mulheres de movimentos populares ocupam fazenda de João de Deus

Mulheres do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e do Movimento Camponês Popular (MCP) ocuparam, na man...