20/04 - Abramos as portas do coração para o perdão

http://perlbal.hi-pi.com/blog-images/365807/gd/1239851121/deixe-Jesus-entrar-no-seu-coracao.jpgA Palavra meditada hoje está em Eclesiástico 28,1-9:

1. Quem quer vingar-se encontrará a vingança do Senhor, que pedirá severas contas dos seus pecados.

2. Perdoa ao próximo que te prejudicou: assim, quando orares, teus pecados serão perdoados.

3. Um ser humano guarda raiva contra outro: como poderá pedir a Deus a cura?

4. Se não tem compaixão do seu semelhante, como poderá pedir perdão dos seus pecados?

5. Se ele, que é um mortal, guarda rancor, como é que pede perdão a Deus? quem é que vai interceder pelos seus pecados?

6. Lembra-te do teu fim e deixa de odiar;

7. pensa na destruição e na morte, e persevera nos mandamentos.

8. Pensa nos mandamentos e não guardes rancor do teu próximo.

9. Pensa na aliança do Altíssimo e não leves em conta a falta alheia.

O Senhor sempre nos perdoa, porém, Ele também nos pede que liberemos o perdão aos nossos irmãos.

Quando não perdoamos ao próximo, fechamos as portas do nosso coração para recebermos o perdão de Deus.

Um coração que se fecha, guarda dentro de si seus pecados.

Não devemos culpar as pessoas por suas atitudes porque não sabemos o que aconteceu com elas para que agissem daquele modo num determinado momento de sua vida.

Deus sabe que nem sempre conhecemos a origem de nossos erros, por isso deseja nos salvar e nos ajudar!

Deus não nos pede que prestemos contas dos nossos erros passados, do mesmo modo não julguemos nem condenemos o outro por suas atitudes passadas.

Nosso maior erro é julgar e rotular as pessoas de más.

A Palavra de Deus nos ensina que não devemos julgar ninguém.

As pessoas mudam com o tempo e, nessas mudanças, adquirem o amadurecimento.

O único que pode nos julgar é Deus.

Muitas pessoas não recebem a cura de seu coração por não se abrirem ao perdão.

Guardar “lixo” dentro do coração expulsa de nossa vida o que de há de bom em nós.

Por vezes, fazemos o mal que não queremos porque não conseguimos evitar que ele [mal] aja em nós.

E isso não acontece somente conosco, mas também com aqueles que estão ao nosso lado.

Erramos e, por vezes, sem intenção de fazer isso.

Não vale a pena guardar o rancor em nosso coração.

Não coloquemos a culpa do que acontece de errado em nossa vida nas pessoas a quem amamos.

Quando não perdoamos ao nosso próximo, toda a bênção que Deus quer derramar sobre nós não nos atinge, pois nosso coração está com as portas fechadas.

Qual a mágoa que trazemos em nós que tem nos privado das bênçãos do Senhor?

Vale a pena a guardarmos em nosso interior!?

Que o Senhor nos conceda a graça de um coração amistoso e que sempre esteja disposto a liberar o perdão.

Márcio Mendes