Abandonado em aeroporto quando bebê, homem encontra sua família 33 anos depois

Apesar das inúmeras dificuldades, Steven nunca desistiu de procurar seus pais biológicos. Veja como ele conseguiu

Steven não sabe o dia exato de seu nascimento e nem o local, mas uma data em particular marca sua história. No dia 10 de abril de 1986 ele foi encontrado num dos banheiros femininos do terminal sul do aeroporto de Gatwick, em Londres, no Reino Unido.
Na época, a história do abandono de um bebê com pouquíssimos dias de vida repercutiu na imprensa e comoveu o país, mas nunca apareceram pistas sobre o paradeiro de seus pais. O menino foi enviado a um orfanato e, aos três anos, adotado por John e Sandra Hydes. Ele então ganhou o nome de Steven Gary Hyde e passou a viver num lar amoroso ao lado de três irmãs adotivas.
Quando atingiu a maioridade, Steven decidiu que havia chegado a hora de encontrar seus verdadeiros pais a partir de uma campanha na internet. Ao longo dos últimos 15 anos, sua procura foi tema de inúmeras reportagens e documentários e, inclusive, o tema central de “The Gatwick Baby: Abandoned at Birth” (O bebê de Gatwick: abandonado no nascimento), especial produzido em 2010 pela BBC, principal emissora de TV britânica.
Mesmo com toda divulgação, nenhuma nova evidência sobre seus familiares foi encontrada. Enquanto procurava pela verdadeira família, Steven se casou e teve um casal de filhos. Mas nunca deixou de fazer postagens em suas redes sociais usando fotos do dia em que foi encontrado e reproduções de reportagens de jornais da época pedindo às pessoas que as compartilhassem. Em uma delas ele fez o seguinte apelo:
“Eu tinha 10 dias quando fui encontrado e acredito que alguém pode me reconhecer. É difícil não saber de onde venho, com quem pareço, tem aquela peça faltando na minha vida que eu preciso saber. Eu tenho uma família maravilhosa e sempre terei, mas há aquele pedaço que falta em mim do qual eu nada sei a respeito”.
No dia 11 de maio de 2019, porém, sua busca finalmente chegou ao fim. Em mensagem compartilhada na mesma data ele escreveu que, com a ajuda de genealogistas profissionais, finalmente havia encontrado sua família biológica. A postagem dizia que sua mãe já havia falecido e ele ainda sabia outros detalhes, já o pai e os irmãos nunca souberam de sua existência.
Mesmo com o fato triste relacionado à mãe, a mensagem de Steven tinha tom de agradecimento. No texto, ele também disse acreditar que os avanços científicos alcançados com os testes de DNA irão coibir novos casos de bebês abandonados.
“Como podem imaginar, este é um assunto muito delicado para todos os envolvidos e muito novo para todos nós, mas eu queria aproveitar a oportunidade e agradecer a todos pelo constante apoio ao longo dos anos. O trabalho que os genealogistas fazem é incrível. Há anos eles trabalham tanto e é graças a eles que estão resolvendo casos como o meu. Mais pessoas estão testando seu DNA todos os dias e espero que minha história possam ajudar a aumentar a conscientização e impedir que outros bebês sejam abandonados. Obrigado a todos aqueles que estiveram envolvidos e ajudaram nessa minha busca”, escreveu o rapaz.